Blog
Diálogo
Logística Inteligente

operações logísticas

Operações logísticas: o que considerar na hora de escolher um bom parceiro

em por

Você já ouviu a expressão “sua empresa é tão forte quanto o seu elo mais frágil”? O ditado popular do mundo corporativo se aplica a todo os mercados, mas no caso de indústrias, lojas varejistas e distribuidores as reclamações dos consumidores não deixam dúvida quanto ao que é comumente o elo mais fraco dessas empresas: o transporte e a entrega dos produtos.

Com o advento da internet, do aumento do consumismo e da oferta de produtos encomendados, essa reivindicação ficou ainda mais intensa e a necessidade de operações logísticas mais elaboradas se tornou essencial para o sucesso e a sustentabilidade das empresas. Tanto é que a partir do início da década de 1980 viu-se uma segmentação forte deste tipo de operação. Algumas empresas se focaram apenas no transporte, outras no armazenamento e no translado e outras ainda no uso de inteligência e dados para trazer mais produtividade às rotas e aos investimentos feitos na logística.

Navegar nesse mar de opções pode ser avassalador se não for feito com cautela e muita pesquisa. Por isso, neste post vamos auxiliar você a tomar essa decisão de uma forma embasada e segura para garantir a satisfação e a fidelidade dos seus clientes.

Conheça os tipos de empresas de operações logísticas (OL)

Antes de falarmos efetivamente de quais critérios são essenciais na escolha de uma empresa para realizar as operações logísticas do seu negócio, é fundamental diferenciar os tipos de OLs disponíveis no mercado.

A crescente popularização da terceirização dessas atividades fez com que o setor buscasse soluções cada vez mais completas e moldadas para determinadas necessidades. Cada tipo de OL tem como core melhorar o desempenho do translado e da entrega de produtos, mas características como leque de serviços ofertados e valor agregado são variáveis de acordo com o setor e com o porte da demanda.

Normalmente as possibilidades de terceirização das operações logísticas se dividem em quatro categorias:

– 1 PL: também conhecidos como “First Party Logistics”. Eles se referem àqueles operadores que se ocupam exclusivamente do transporte das mercadorias.

– 2 PL: as “Second Party Logistics” são as empresas que fazem o transporte e o armazenamento das mercadorias por um determinado período de tempo.

– 3 PL: os “Third Party Logistics” são a forma mais utilizada de terceirização de operações logísticas atualmente. Esse tipo de OL se ocupa do transporte e do armazenamento de mercadorias, mas seu diferencial é a personalização dos serviços com base no uso da tecnologia e na análise de informações relevantes. Elas buscam a integração e verificação e otimização do processo logístico das empresas que as contrataram.

– 4 PL: os “Fourth Party Logistics” são operadores que se encarregam da coordenação de toda a logística de uma empresa. O que inclui também toda a cadeia de suprimentos e produção, não apenas a coleta, o armazenamento e a distribuição das mercadorias.

7 dicas para escolher um operador logístico perfeito

Por ser o tipo de operador logístico mais visado atualmente, neste post vamos nos focar nos critérios para a contratação de um 3 PL eficiente e que consiga atender adequadamente aos anseios e exigências da sua empresa.

1 – Oferta de serviços personalizados

Mesmo em um mesmo setor, duas empresas diferentes possuem necessidades e realidades distintas. Por isso é fundamental que a empresa que você contratar para realizar as operações logísticas da sua companhia tenha a capacidade de personalizar a gama de serviços que oferece.

Para verificar se esse é o caso, você pode ver os cases da OL desejada e avaliar se ela foi flexível e conseguiu se moldar às demandas específicas com resultados satisfatórios ou apenas replicou o mesmo método em todos os clientes, sem distinção.

2 – Tempo de atuação e credibilidade no mercado

A terceirização da logística da sua empresa é um ponto crucial para o relacionamento e a fidelização dos clientes. E para que a transição para este modelo seja mais confortável, é interessante confiar em empresas ou profissionais com um bom tempo de mercado.

Neste período, eles já tiveram de superar diversas situações e possuem conhecimento suficiente para diminuir as curvas de aprendizado e a implementação de novos negócios.

Busque cases de clientes atendidos pela empresa que você está pleiteando, assim como certificações de excelência e filiações às entidades do meio, como a Associação Brasileira de Movimentação e Logística (ABML) ou a Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística).

3 – Estrutura adequada

Para o sucesso da parceria é crítico que a empresa terceirizada possua uma infraestrutura compatível com as demandas do seu negócio tanto presentes quanto futuras. Isso envolve espaço e número de galpões, idade, qualidade e tamanho da frota de caminhões associados e profissionais à disposição para resolver seus problemas, entre outros.

Caso o seu produto tenha características específicas, é fundamental que você verifique com ainda mais atenção se elas são atendidas pela terceirizada. Por exemplo: no caso de uma companhia que comercializa produtos congelados, é preciso analisar se os locais de armazenagem e se os caminhões utilizados são equipados para o controle de temperatura e de luminosidade, assim como se o despacho é feito de forma acelerada para não afetar a qualidade dos produtos.

4 – Capilaridade geográfica

A empresa contratada precisa ter uma atuação forte na área na qual você pretende comercializar seus produtos. Se ela não possui essa capilaridade, possivelmente terá grandes dificuldades para escalar futuras demandas ou exigências repentinas (caso, por exemplo, da Black Friday para e-commerces).

5 – Recursos de TI disponíveis e capacidade de transmitir informações

A demanda de algumas indústrias e lojas varejistas inclui a entrega rápida de produtos. Por isso, a empresa terceirizada precisa ter um pacote de softwares compatíveis com os utilizados no seu negócio para que o fluxo de informações seja rápido, eficiente e sem entraves.

Além disso, o uso de programas ou soluções que permitam o compartilhamento de dados e informações em tempo real (ou muito próximo disso) entre as duas partes deve ser visto como um diferencial. Deste modo, é possível tomar atitudes proativas em relação a atrasos, falhas em documentações e previsão de sobrecargas, assim como ações de fidelização mais personalizadas para os seus clientes.

5 – Custo-benefício

O custo por si só não deve ser um fator determinante na escolha de um operador logístico em detrimento de outro. No entanto, não há como negar que ele interfere bastante no processo de decisão.

Por isso, verifique o seu planejamento financeiro e avalie qual a melhor opção que a sua empresa consegue bancar sem comprometer demais o preço final do seu produto ou da sua operação como um todo. Lembre-se de que ao terceirizar a logística você já está promovendo redução de custos com contratação e encargos trabalhistas de funcionários. Ou seja, não é preciso buscar a opção mais barata no mercado, mas, sim, a que oferece o melhor custo-benefício.

6 – Alinhamento cultural

No seu e-commerce ou indústria o seu cliente final deve ser o grande foco de toda a sua operação. Assim também deve ser a visão do seu operador logístico.

Garantir que as duas empresas compartilhem dos mesmos valores (culturais, ambientais e éticos) facilita a comunicação entre ambas e permite que o espelhamento do seu negócio seja visível para o consumidor na ponta final do processo. Afinal, ele não sabe nem quer saber se você terceiriza ou não algumas atividades. Mas ele exige que todas elas estejam alinhadas e de acordo com o que foi contratado no momento da compra.

7 – Busca por melhoramentos constantes

O operador logístico que você contratar deve estar focado em sempre melhorar os serviços ofertados e em agregar mais valor às suas entregas. Pode ser focando na redução de custos, na diminuição do tempo de entrega, na otimização de rotas, no aumento da abrangência geográfica ou outros fatores.

O importante é que ele esteja pensando em expansão e qualificação sempre, porque a sua empresa sem dúvida está fazendo isso e precisa de alguém que a acompanhe.

Selecionar um operador logístico é uma tarefa árdua, mas que pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso do relacionamento da sua empresa com seus consumidores. Por isso é uma decisão que deve ser tomada com calma, informação e negociação. Esperamos que este post tenha ajudado você a decidir pelo melhor para a sua empresa!

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *